Documento sem título
Segunda, 24 Julho 2017 11:25

CIT - Câmara Interamericana de Transportes

Foto: CIT
CIT - Câmara Interamericana de Transportes

Nos dias 24 e 25 de maio os membros da Câmara Interamericana de Transportes – CIT, entidades e organizações provenientes de 18 países da América Latina, celebraram seu 15 º aniversário na sede das Nações Unidas, em Nova York, em trabalho conjunto com a UNCTAD.

No dia, 24 de maio se realizou a abertura da XXVII Assembléia Geral da CIT, na qual em meio às apresentações dos temas de interesse, foram entregues medalhas de Ordem do Mérito Interamericano de Transportes, sendo condecorados as seguintes autoridades: o Presidente da Confederação Nacional do Transporte – CNT, Clesio Andrade, e o Reitor Associado da Universidade de Miami, Olivier Bouclier.

 

CIT aprova moção de repúdio contra insegurança no Rio

A  Assembleia aprovou no dia (24), por unanimidade, moção de repúdio apresentada pela CNT em razão da insegurança sofrida pelos que trabalham no setor de transporte de bens e de pessoas no estado do Rio de Janeiro. Aprovada pelos 18 países integrantes da Câmara Interamericana de Transportes, a moção é destinada à OEA (Organização do Estados Americanos).

O documento apresentado pelo presidente da CNT, Clésio Andrade, informa que, no período de 2011 a 2016, os roubos de cargas no Brasil aumentaram 86%, causando um prejuízo de mais de R$ 6,1 bilhões ao país, especialmente às empresas transportadoras e aos transportadores autônomos. “Foram quase 98 mil ocorrências, o que representa um roubo a caminhão a cada 23 minutos”, calcula Clésio Andrade.

O roubo de cargas se tornou tão grave que, em uma lista de 57 países, o Brasil é apontado como o oitavo mais perigoso para o transporte de cargas, ficando à frente de países em guerra e em conflito civil, como Paquistão, Eritreia e Sudão do Sul.

“O roubo de cargas é um crime que tem efeito em cadeia na economia, com a transferência de custos extras para a sociedade”, alertou o presidente da CNT, Clésio Andrade. Segundo ele, o grande impacto social é o aumento da violência, uma vez que o roubo de cargas vem sendo utilizado para financiar o tráfico de drogas e de armas.

O número de ônibus e caminhões queimados no Rio de Janeiro é também considerado alarmante. Só nos primeiros quatro meses do ano, foram registrados 39 incêndios de coletivos e caminhões, número superior às ocorrências de todo o ano passado.

Ao aprovar a moção de repúdio apresentada pela CNT, a Assembleia Geral da CIT, que está sendo realizada na sede da ONU (Organização das Nações Unidas), em Nova York, reconheceu a gravidade do tema e decidiu levá-lo ao conhecimento de todos os países integrantes da OEA, considerando que, se não for solucionado, o problema de roubo de cargas repercutirá em outros países, como já é observado na Guatemala.

O presidente da ABTC, Pedro Lopes, presente no evento, disse que a apresentação do documento é muito importante e oportuno. "Nós entendemos que apenas com ações integradas dos orgãos responsáveis em todos os estados do Brasil é que teremos uma atuação efetiva no combate ao roubo de cargas", ressaltou.

No evento também foi assinada uma resolução em apoio a Moção da CNT (BRASIL) para atender as denúncias desta confederação sobre a falta de ação do Governo Brasileiro para a Comissão dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos – OEA a respeito da violência sofrida pelos transportistas no Rio de Janeiro (Brasil).

A próxima edição da Assembléia Geral será realizada na cidade de Arequipa, no Perú, nos dias 22 e 23 de novembro de 2017, e desde já os interessados podem contactar a Secretaria Geral pelo e-mail secgeral@citamericas.com para garantir sua vaga neste grande evento.

TOP